Asian lady woman patient have abnormal enlargement of thyroid gl

Bócio multinodular: visão geral, causas e tratamento

O termo bócio refere-se ao aumento anormal da glândula tireoide e nem sempre impacta o funcionamento desse órgão. O bócio multinodular é uma patologia comum e que frequentemente causa esse crescimento da glândula.

Você já ouviu falar nessa condição? Sabe como ela é causada ou conhece as principais formas de tratamento? Caso não, recomendamos a leitura deste post. Nele, explicaremos tudo sobre o assunto.

O que é o bócio multinodular?

Trata-se de uma condição que pode ser definida como um aumento da glândula tireoide devido a proliferação de tireócitos e caracteriza-se pela heterogeneidade no crescimento e função das células foliculares.

Ainda, o bócio multinodular é uma doença comum, com aumento da prevalência nas regiões em que há deficiência de iodo, sendo esta a principal causa por trás dessa condição, que é considerada uma neoplasia benigna da tireóide.

Ademais, esse aumento de volume da glândula pode ser classificado de duas formas distintas: tóxico e atóxico. No primeiro caso, é um distúrbio relativamente frequente, no qual são identificados muitos nódulos. 

Esse tipo é mais recorrente no sexo feminino e as chances de desenvolvê-lo são maiores com o avançar da idade, principalmente a partir dos 60 anos.  O bócio tóxico é uma das causas mais recorrentes de hipertireoidismo, a par de Doenças de Graves.

Por outro lado, o bócio multinodular atóxico é uma das patologias tireoidianas mais prevalentes no mundo e também são mais frequentes entre as mulheres, na proporção de 7 para 1 em áreas endêmicas. Nesses casos, os nódulos não produzem muitos hormônios.

Como é causado?

De forma geral, as causas do bócio multinodular podem ser classificadas em fatores primários e secundários. Os primários dizem respeito às características das células foliculares, que originam a formação dos nódulos, especialmente quando expostas aos fatores secundários.

Ademais, entre os fatores secundários mais comuns, podemos citar o efeito de níveis elevados de TSH, provocado pela deficiência de iodo ou por defeitos na hormonogênese, e aumento no nível de insulina-IGF.

Ainda, sobre a deficiência de iodo, é o principal fator de risco para a formação do bócio. Isso porque acarreta no aumento da secreção endógena de TSH, estimulando a função e o crescimento em todas as células foliculares.

Como é o tratamento?

Na maioria dos casos, o bócio multinodular não precisa de tratamento. No entanto, caso os nódulos sejam de tamanho maior e causem algum tipo de sintoma, a cirurgia pode vir a ser necessária.

Nesses casos, os nódulos provocam a compressão da região, causando dificuldade para respirar, engolir e falar. O procedimento cirúrgico visa melhorar a qualidade de vida do paciente. 

Ademais, alguns dos nódulos presentes nos bócios multinodulares podem apresentar sinais de malignidade. Assim, o paciente precisa realizar alguns exames para determinar se é ou não um câncer, como, por exemplo, a punção aspirativa por agulha fina (PAAF).

Além disso, existem outras técnicas cirúrgicas que podem ser utilizadas, tais como, a ablação por radiofrequência. O procedimento consiste na introdução de uma agulha dentro da tireoide, emitindo ondas de radiofrequência para destruir o nódulo.

Então, como você pode perceber, o bócio multinodular é uma condição que merece atenção, o que exige acompanhamento médico. Portanto, caso suspeite de algo ou apresente alguma anormalidade na região, procure um médico.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de cabeça e pescoço em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp