cisto

Cisto: o que é?

Diferente do que muitos imaginam, nem sempre o diagnóstico de um cisto é um problema grave. Na verdade, na maioria dos casos, essa condição é benigna e não representa um risco à sua saúde.

Porém, você sabe o que, de fato, é um cisto? Sabe as diferenças entre ele e um nódulo? Então, você precisa ler este post. A seguir, descubra tudo o que você precisa saber a respeito dessa condição.

Entenda mais sobre o cisto

Por definição, um cisto é um tumor benigno revestido por uma membrana de tecido epitelial.  que pode conter fluidos, material semi-sólido ou pastoso, que tem crescimento lento e, na maioria das vezes, não causa dor.

Ainda, os cistos também podem ser definidos como uma espécie de nódulos ou bolsas que não provocam nenhum tipo de sintoma. Existem diferentes razões para o desenvolvimento dessa condição, desde infecções e traumatismos até genética.

Além disso, essas saliências podem se desenvolver em quase todas as partes do corpo, sendo mais comum na região das mamas, na glândula tireoide, nos ovários, no fígado e nas articulações. 

Ademais, os cistos são classificados de diferentes formas, de acordo com suas características ou com a região em que surgem. A seguir, conheça os tipos mais comuns:

  • cistos do ovário: costumam ser benignos e surgem em função de alterações hormonais relacionadas ao ciclo menstrual, gravidez, menopausa ou em decorrência do uso de anticoncepcionais;
  • cisto de Naboth: é o tipo que se forma no colo do útero devido ao acúmulo de muco liberado pelas glândulas de Naboth. São mais comuns em mulheres em idade fértil e não são motivo para preocupação;
  • cisto de Baker: surge como um caroço na parte anterior dos joelhos e está relacionado ao acúmulo de líquidos da articulação em decorrência de diferentes problemas, tais como, artrose, lesão do menisco, gota e artrite reumatoide;
  • cisto sebáceo: um tipo de caroço que se desenvolve sob a pele, sendo preenchido por queratina e outros materiais. Esse cisto tende a surgir após traumas na pele ou no interior de folículos pilosos;
  • cisto no rim: costuma ser benigno e não causa nenhum sintoma. Porém, quando apresenta sinais de uma lesão grave, pode exigir até uma punção para analisar o seu conteúdo;
  • cisto pilonidal: é uma espécie de bolsa formada por material de glândulas sebáceas e sudoríparas que se desenvolvem no final da coluna vertebral;
  • cisto na mama: são assintomáticos e benignos, sendo formados por líquidos.

Qual a diferença entre cisto e nódulo?

Essa é uma das principais dúvidas das pessoas. Um cisto é definido com uma cavidade ou saco fechado formado por líquido e revestido por epitélio. Os cistos podem conter ou não tecidos neoplásicos, estando ou não associada a lesões cancerígenas.

Por outro lado, os nódulos são lesões com mais de 1cm de diâmetro, bem delimitadas e de origem epitelial ou conjuntiva. Entre os tipos mais comuns estão: nódulo pulmonar, nódulo tireoide e nódulo hepático.

De forma geral, essas duas condições se distinguem apenas por definições histopatológicas, sendo de pouco entendimento e serventia para a população. Seja um cisto ou um nódulo, é fundamental sempre buscar orientação médica.

Então, como você pode perceber, existem inúmeros tipos diferentes de cistos, sendo, na sua maioria, condições benignas e que não exigem tratamento. Portanto, caso receba um diagnóstico de um cisto, não se desespere e aguarde a avaliação do seu médico.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de cabeça e pescoço em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp