Shot of a young man suffering from shoulder pain while exercising at home

Distonia: sintomas, causas e tipos

A distonia é um termo utilizado para definir um conjunto de doenças em que um músculo ou todo um grupamento muscular se contrai de maneira involuntária, repetitiva e intermitente.

Geralmente, essa contração involuntária dos músculos, também chamada de espasmos musculares, geram movimentos e posturas anormais em todo o corpo ou em uma região específica. Em alguns casos, a pessoa também pode ficar sem conseguir se mexer por alguns minutos.

Apesar de possuir uma certa predominância no sexo feminino, essa condição pode afetar tanto homens, quanto mulheres, sendo mais comum por volta dos 50 anos.

Tipos de distonia

Pode-se dizer que existem dois tipos de distonia

A primária, que é quando os espasmos musculares são o único sintoma, não possuindo relação com nenhuma outra patologia, e a secundária, que é consequência de outro problema de saúde, como o AVC ou alguma infecção.

Além disso, existem algumas classificações para esse problema, que são caracterizadas segundo a parte do corpo afetada. Dessa forma, podemos dizer que a distonia pode ser classificada, em:

Focal

Quando as contrações involuntárias afetam apenas uma parte do corpo. Um exemplo bastante comum é a distonia cervical, que é a que mais acomete os adultos, afetando a região do  pescoço e provocando sintomas como a inclinação involuntária do mesmo para a frente, para trás ou para os lados.

Segmentar

Atinge duas ou mais partes do corpo que estão interligadas, como é o caso da oro mandibular, que acomete os músculos da face, a mandíbula e a língua, podendo causar, inclusive, uma espécie de distorção facial, a abertura e fechamento involuntário da boca.

Generalizada

Quando todas as partes do corpo são afetadas. Normalmente esse tipo se inicia na infância ou na adolescência, com as contrações começando em apenas um dos membros que, mais tarde, vão se espalhando para as outras partes do corpo.

Hemidistonia

Quando um lado inteiro do corpo é afetado, causando espasmos e rigidez muscular em todos os músculos do lado atingido.

Causas

Os fatores que causam as distonias ainda não foram totalmente esclarecidos pela medicina, porém é de conhecimento geral que as questões genéticas e hereditárias são as principais responsáveis pelo tipo primário.

Isso porque, nos últimos anos, pesquisadores observaram uma série de alterações genéticas relacionadas com a síndrome distônica primária, sendo o gene DYT1 o principal responsável. No entanto, outros genes como o DYT4, DYT5 e DYT6 também são causas conhecidas.

Já as distonias do tipo secundário, são causadas por outras doenças ou outras causas específicas. Podendo ser consequência de um uso contínuo de medicamentos psicotrópicos ou psico-estimulantes ou de doenças que alteram estruturalmente o sistema nervoso, como é o caso do AVC.

Além disso, ela também pode ser sintoma de alguns distúrbios neurológicos, como a doença de Parkinson, por exemplo.

Tratamento

Como ainda não existe uma cura para esse problema, o tratamento tem como principal objetivo controlar as contrações musculares involuntárias (espasmos), melhorando a qualidade de vida da pessoa.

Existem diversas formas de tratar essa condição, que devem ser escolhidas pelo profissional conforme o tipo e gravidade da distonia. As principais opções de tratamento, são: injeções de toxina botulínica, uso de medicamentos, estimulação cerebral profunda e fisioterapia.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de cabeça e pescoço em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp