Embolia aérea

Embolia aérea: causas, sintomas e tratamento

A embolia aérea, também chamada de embolia gasosa é uma das principais causas de morte dos mergulhadores. Ocorre quando bolhas de ar surgem nas veias e artérias e obstruem os vasos sanguíneos. 

No caso dos mergulhadores, devido à mudança de pressão conforme retornam a superfície, o ar retido nos pulmões pode escapar para a corrente sanguínea, causando as bolhas.

A embolia gasosa é perigosa, pois impede o fluxo sanguíneo. Tanto que é fatal quando acontece no cérebro ou no coração. Entenda mais sobre o assunto, incluindo suas causas, sintomas e tratamentos.

Causas da embolia aérea

O mais comum é que a embolia aérea seja causada pela fuga de ar dos pulmões do mergulhador, durante uma subida muito rápida, depois de mergulhos muito profundos. Traumas nos pulmões também podem ser responsáveis por este problema.

Causas mais raras, porém que também acontecem, incluem:

  • Injeção com uma seringa sem retirar bolhas de ar;
  • Cateteres inseridos de modo incorreto, permitindo a entrada de ar na corrente sanguínea;
  • Durante uma cirurgia.

Sintomas

Mesmo uma simples bolha de ar pode ser perigosa no sangue, pois ela caminha e quando chega em uma veia ou artéria pequena pode causar sua obstrução.

Dentre os sintomas da embolia gasosa, podemos citar:

  • Perda de consciência;
  • Convulsões;
  • Dor no peito;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Pele azulada;
  • Pressão arterial baixa;
  • Confusão mental;
  • Dificuldade para respirar;
  • AVC.

No entanto, em alguns casos, os sintomas não aparecem.

Como é feito o diagnóstico

Além disso, o médico também pode monitorar o paciente por ecocardiografia, tomografia computadorizada, taxa de respiração e controle da pressão arterial.

No caso dos mergulhadores, se estes ficam inconscientes logo após retornarem a superfície, devem ser levados imediatamente ao hospital. Ou seja, quando isso acontece, já é presumido que há a embolia gasosa e o paciente é encaminhado para o tratamento.

Tratamento da embolia aérea

Logo após o diagnóstico, o tratamento é feito com a administração de oxigênio 100% (terapia hiperbárica) e é feita a terapia de recompressão para os mergulhadores. Além disso, o paciente é imediatamente acomodado, de modo que permaneça em repouso.

O objetivo é evitar que as bolhas de ar se desloquem e cheguem a algum órgão como o coração e o cérebro. Também pode ser feito um procedimento cirúrgico com o objetivo de remover a embolia.

Assim que feito o diagnóstico, o mais importante é paralisar e impedir que a embolia gasosa danifique os órgãos.

Embolia aérea pode ser fatal

O diagnóstico da embolia é urgente, pois pode ser fatal para o paciente. Em suma, dentre suas complicações mais graves estão o AVC (acidente vascular cerebral) e o ataque cardíaco.

Nos casos sintomáticos, é importante buscar ajuda médica assim que surgem os primeiros sintomas. 

Quando envolve um mergulhador, como as bolhas podem ser causadas pelo nitrogênio presente no tanque de oxigênio (que não se dilui corretamente no sangue quando se retorna rapidamente para a superfície), fica mais simples saber sobre a embolia aérea, já que, é comum que fiquem desacordados pouco após deixarem a água.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de cabeça e pescoço em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp