Glândulas salivares

Glândulas salivares: tipos de infecções

As glândulas salivares são tecidos especializados na produção e secreção de saliva para a lubrificação da boca e da garganta. Essas estruturas podem ser acometidas por uma série de doenças, inclusive infecções.

Neste sentido, preparamos este post para explicar um pouco mais sobre as principais infecções que afetam essas glândulas. Ficou interessado? Então, não perca tempo e continue a leitura.

Problemas nas glândulas salivares

Caxumba

Trata-se de uma doença causada por um vírus chamado paramyxovirus, microrganismo que acomete as glândulas parótidas. Geralmente, a transmissão ocorre através do contato com gotículas de saliva de pessoas contaminadas.

Ainda, a caxumba costuma se manifestar na infância. Assim, recomenda-se que a criança se ausente da escola para evitar o contágio de outras pessoas. Entre os sintomas apresentados, estão: febre, dor no rosto e no corpo, e aumento das glândulas salivares.

Ademais, não há um tratamento específico para essa condição. Os médicos costumam prescrever analgésicos e anti-inflamatórios. Além disso, é necessário permanecer em repouso pelo período determinado.

Sialadenite

A sialadenite é uma inflamação que ocasiona o aumento de uma ou mais glândulas salivares maiores, especialmente as parótidas e as submandibulares. Na maioria dos casos, é ocasionada por uma infecção bacteriana causada por Staphylococcus aureus.

Em alguns casos, pode ser provocada por vírus ou por causas autoimunes. No que se refere aos sintomas, os pacientes costumam apresentar dor aguda e edemas indolores. Quando é do tipo esclerosante crônica pode evoluir para um tumor.

Síndrome de Sjögren

A síndrome de Sjögren é uma condição autoimune que se caracteriza pela secura ocular e da boca associadas à presença de sinais de inflamação glandular. O quadro é provocado pela ação de linfócitos que invadem órgãos, glândulas lacrimais e salivares, iniciando um processo inflamatório.

Além disso, os pacientes também podem apresentar secura na pele, nariz e vagina. fadiga, artralgias e artrites. A síndrome de Sjögren é mais comum em mulheres de meia idade, mas pode acometer homens.

Embora não exista uma cura definitiva para essa infecção, o prognóstico pode ser muito melhor quando o diagnóstico e o tratamento são precoces. Geralmente, recomenda-se o uso de lágrimas artificiais, anti-inflamatórios, corticóides ou imunossupressores.

Sialolitíase

Trata-se de uma inflamação que obstrui os ductos das glândulas salivares em função da formação de pedras na região. Com isso, causam dor no rosto, boca e pescoço, inchaço, mal-estar e dificuldade para engolir. 

Ainda, os cálculos que bloqueiam as glândulas têm origem na cristalização de substâncias presentes na saliva, como o fosfato e o carbonato de cálcio. Embora não se saiba o que causa esse processo, acredita-se que há uma relação com o uso de anti-histamínicos, anticolinérgicos ou anti-hipertensivos.

Quando as pedras são pequenas, o tratamento pode ser feito de maneira conservadora, com a ingestão de água para a estimulação da produção de saliva, de modo que as pedras desobstruam os ductos.

Caso essa medida não surta o efeito esperado ou os cálculos sejam maiores, pode ser necessário recorrer a cirurgia para a sua remoção. Em algumas situações, as ondas de choque são usadas para quebrar as pedras em pedaços menores.

Cuidando das suas glândulas salivares

Enfim, essas são as infecções que mais comumente acometem as glândulas salivares. De modo geral, todas elas são passíveis de tratamento e cura. Porém, quanto mais cedo for o diagnóstico, melhor será o prognóstico.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de cabeça e pescoço em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp