hipertireoidismo

Hipertireoidismo: o que é?

Perda de peso sem causa aparente, alteração de humor, ritmo cardíaco acelerado e cabelos mais finos. O que esses sintomas têm em comum? Todos são comuns ao quadro de hipertireoidismo.

Já ouviu falar nessa condição? Sabe como ela é causada? Então, não deixe de ler este post para entender tudo sobre esse distúrbio da glândula tireóide. Ficou interessado? Continue a leitura.

Entenda o hipertireoidismo

O hipertireoidismo é uma doença que se caracteriza pela hiperatividade da glândula tireóide, resultando em níveis elevados de hormônios tireoidianos e aceleração das funções vitais do corpo.

Ainda, a glândula tireóide é responsável, entre outras coisas, pela regulação do metabolismo. Para isso, produz os hormônios T3 e T4 que controlam a velocidade do funcionamento do organismo, desde a frequência cardíaca até a digestão.

Esse distúrbio da tireoide é mais comum entre mulheres na faixa etária de 20 a 40 anos. Porém, também pode acometer homens de qualquer idade. Sendo assim, o endocrinologista é o profissional responsável por tratar essa condição e promover o alívio dos sintomas.

Quais são os sintomas?

O hipertireoidismo faz com que o metabolismo funcione de forma acelerada. Assim, diversas funções vitais são afetadas, o que causa uma grande variedade de sintomas. A seguir, conheça os mais comuns:

  • dificuldade para dormir ou para manter uma boa noite de sono;
  • ansiedade, irritabilidade e outras alterações de humor;
  • aceleração do ritmo cardíaco, chegando a mais de 100 batimentos por minuto, mesmo em repouso;
  • perda de peso sem causa aparente;
  • mãos tremulas;
  • suor e calor em excesso;
  • retração das pálpebras que pode evoluir para dor no movimento dos olhos e visão dupla;
  • arritmia cardíaca;
  • aumento no número de evacuações;
  • bócio em decorrência da deficiência de iodo;
  • perda de tônus muscular que leva a fraqueza e dores musculares;
  • diminuição do fluxo menstrual ou até a interrupção.

Como é causada?

O hipertireoidismo é resultado do aumento de produção de hormônios pela glândula tireóide. Geralmente, o quadro está relacionado à doença de Graves, uma condição autoimune em que o sistema imunológico ataca a própria tireoide.

Além disso, existem outras situações que podem ter relação com essa condição, como, por exemplo, presença de nódulos ou cistos na tireóide, dosagem excessiva de hormônios tireoidianos, inflamação da glândula e consumo demasiado de iodo.

Como é o tratamento do hipertireoidismo?

O tratamento do hipertireoidismo varia de acordo com os níveis dos hormônios do sangue, a idade do paciente, as causas e a gravidade da doença. Por isso, o uso de medicamentos é o padrão ouro no tratamento dessa doença,

Em suma, esses fármacos irão atuar na regulação dos níveis hormonais, inibindo a síntese do hormônio e diminuindo a quantidade de hormônios tireoidianos circulantes no sangue. Nesse sentido, durante o tratamento pode ser necessário fazer ajustes da dose ao longo do tempo.

Outra alternativa é o tratamento com iodo radioativo, que consiste na ingestão dessa substância a fim de promover a inflamação das células da tireóide, resultando na diminuição da produção de hormônios.

Além disso, a cirurgia para retirada da tireoide também é indicada quando os outros tratamentos não surtiram o efeito esperado. No entanto, pode levar ao hipotireoidismo. Por isso, é de extrema importância o acompanhamento médico regular.

Enfim, com a leitura deste post, você já conhece os pontos mais relevantes sobre o hipertireoidismo. Portanto, caso você perceba esses sintomas, procure orientação médica o quanto antes.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Então, leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de cabeça e pescoço em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp