laringoscopia

Laringoscopia: quando é necessária?

A laringe é a região onde estão localizadas as pregas vocais, responsáveis pela formação da nossa voz. Porém, esse órgão pode ser acometido por uma série de problemas. A laringoscopia é o procedimento utilizado para confirmar o diagnóstico.

Você sabe quando é necessário realizá-lo? Então, recomendamos a leitura deste post. A seguir, explicaremos os principais tópicos a respeito deste exame. Ficou interessado? Continue a leitura.

O que é a laringoscopia?

Trata-se de um exame endoscópico das vias aéreas superiores, ou seja, nariz, faringe e laringe. O procedimento é feito a partir da introdução de um aparelho chamado de laringoscópio. 

Ainda, a laringoscopia pode ser feita de duas formas: indireta e nasofibrolaringoscopia. No primeiro caso, é realizada através de um tubo rígido de 8mm de diâmetro que contém uma câmera em sua extremidade. Em função de sua angulação, permite visualizar a laringe sem a necessidade de introduzi-lo na garganta.

Já a nasofibrolaringoscopia, ou direta, é feita por meio de um tubo flexível de fibras ópticas com cerca de 3,5mm de diâmetro e que precisa ser introduzido através das narinas, percorrendo da faringe até a laringe.

Como é realizada?

A laringoscopia não exige preparo prévio ou sedação e o paciente pode retomar suas atividades logo após o fim do procedimento. No consultório, o paciente fica sentado e o médico irá borrifar um spray anestésico nas suas narinas ou garganta.

Assim, o tubo desliza pela via aérea superior sem causar desconforto. A laringoscopia direta é feita pela boca. Por isso, não é indicada para crianças menores, pois depende da colaboração e tolerância do paciente.

Nesses casos, realiza-se a nasofibrolaringoscopia flexível. O exame costuma levar, em média, 5 a 10 minutos para ser concluído. Com o endoscópio é possível fazer a biópsia dos tecidos para posterior análise em laboratório.

Quando o exame é indicado?

O procedimento é indicado para todas as pessoas que apresentem queixas e sintomas que indiquem a necessidade de visualizar as estruturas internas das vias aéreas superiores. Os casos mais comuns são:

  • ronco frequente;
  • obstrução nasal e dificuldade para respirar;
  • tosse persistente;
  • entalo, engasgo ou sensação de que há algo dentro da garganta;
  • alterações na voz e rouquidão;
  • refluxo gastroesofágico;
  • surgimento de aftas com frequência;
  • tabagismo e alcoolismo;
  • histórico pessoal ou familiar de algum câncer de cabeça e pescoço.

No que se refere aos problemas mais diagnosticados através desse exame, são eles: laringite, estenose da laringe e câncer. Embora cause algum tipo de desconforto, a laringoscopia não possui contraindicações. Isso significa que, caso haja a prescrição médica, qualquer pessoa pode realizá-la. 

Como é o preparo para a laringoscopia?

A preparação para o exame pode exigir a necessidade de outros procedimentos, tais como, exame físico, radiografia ou tomografia computadorizada do tórax, raio-X com contraste com bário. 

Então, com a leitura deste post, você conheceu tudo o que precisa a respeito da laringoscopia. Como você pode perceber, não há com o que se preocupar. Portanto, caso precise realizá-la, fique tranquilo.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de cabeça e pescoço em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp