patologias congênitas

Patologias congênitas: o que são, sintomas e tratamentos

O termo patologias congênitas é utilizado para descrever quaisquer alterações funcionais ou estruturais que surjam ainda no desenvolvimento fetal e que cuja origem ocorra antes do nascimento do bebê.

Você já ouviu falar delas? Conhece as causas, sintomas e opções de tratamentos? Caso não, este post é leitura obrigatória. A seguir, explicaremos tudo o que você precisa saber a respeito do assunto.

O que são as patologias congênitas?

As anomalias congênitas, como também são chamadas, são definidas como todas as alterações funcionais ou estruturais presentes no feto e que sejam causadas antes do nascimento.

Ainda, essas patologias podem ser provocadas por diferentes fatores e nem sempre se manifestam de imediato, podendo até levar anos para serem percebidas. De modo geral, são classificadas em maiores e menores.

As patologias congênitas menores não são graves e se caracterizam por provocar fenótipos fora do padrão. Já as maiores são graves e provocam alterações anatômicas, estéticas e funcionais que podem até levar à morte. Essas anomalias podem ser divididas da seguinte forma:

  • malformação: ocorre em razão de um defeito tecidual causado durante o desenvolvimento dos tecidos ou quando um órgão é afetado. A síndrome de Down é um exemplo;
  • ruptura: é a destruição ou alteração de estruturas que já estavam formadas, como, por exemplo, a redução de membros em decorrência de anomalias vasculares;
  • deformação: trata-se de uma alteração da forma, contorno ou posição de um órgão, como é o caso de um pé torto;
  • displasia: se caracteriza por uma anomalia na organização das células, ocasionando alterações morfológicas, como um rim policístico.

Como são causadas?

As patologias congênitas são causadas, em sua maioria, por transtornos congênitos e perinatais que podem ou não estarem associados a agentes infecciosos. Esse é o caso, por exemplo, do vírus da rubéola, do Zika, do HIV e do citomegalovírus.

Além disso, acredita-se que o uso de drogas lícitas e ilícitas, de medicações teratogênicas ou a presença de endocrinopatias maternas também provocam essas doenças. Porém, a grande maioria dessas anomalias congênitas é de origem desconhecida.

Quais são os sintomas?

Os sintomas variam amplamente, de acordo com o tipo de patologia. Uma cardiopatia, por exemplo, pode causar pele azulada, falta de ar e alterações no ritmo cardíaco. Já a síndrome de Down é marcada pela presença de alguns problemas de saúde, como alterações da tireoide e cardiopatias.

Ainda, outras doenças se caracterizam por sintomas físicos mais evidentes, como o lábio leporino, espinha bífida e pé torto. A síndrome de Edwards provoca baixo peso, cabeça com formato anormal e defeitos congênitos em órgãos.

Como é o tratamento?

Por abranger uma série de condições distintas, o tratamento também é individualizado, conforme os sintomas e a doença diagnosticada. De modo geral, o uso de fármacos, procedimentos cirúrgicos e mudanças na alimentação são as medidas terapêuticas mais utilizadas.

Enfim, existem vários tipos de patologias congênitas e, em sua maioria, são graves. Por isso, são a segunda causa de mortalidade infantil. Portanto, as campanhas educativas de prevenção são essenciais.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de cabeça e pescoço em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp